17/10/2016 - Um em cada quatro municípios não terá mulher na Câmara de Vereadores

Um em cada quatro municípios brasileiros não terá vereadora a partir de 2017, mostra levantamento feito a partir de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Serão 1.290 municípios sem representantes femininas no Legislativo municipal, equivalente a 23% do total de cidades do País.

Em contrapartida, o resultado apresenta uma ligeira alta na participação das mulheres nas Câmaras, já que, nas eleições de 2012, eram 24% dos Municípios que não tiveram mulheres vereadoras. Apenas 0,4% das câmaras municipais terão maioria feminina.

Na região da Comcam, apenas 11,35% dos vereadores eleitos são do sexo feminino. De acordo com levantamento, dos 229 parlamentares eleitos para a gestão 2017/20 só 26 mulheres conseguiram uma cadeira. O número é um pouco maior comparado a última eleição, quando a região elegeu 22 mulheres.

Apesar de um índice considerado bastante baixo, o número supera o porcentual da Organização das Nações Unidas (ONU), que estima que o Brasil está no pior lugar do ranking de mulheres na política, com apenas 9% de mulheres em cargos legislativos ou executivos.

Na Comcam, 32% dos municípios terão representação feminina dentro dos Legislativos, ou seja, 17 das 25 Câmaras da região terão pelo menos uma mulher como vereadora. Entre as 8 cidades que não elegeram nenhuma mulher vereadora estão: Araruna; Corumbataí do Sul; Goioerê; Janiópolis; Mamborê; Nova Cantu; Quarto Centenário; e Quinta do Sol.

Campina da Lagoa e Juranda foram os municípios que mais elegeram mulheres vereadoras, com 4 e 3 respectivamente. Em Campina da Lagoa, aliás, o vereador mais votado foi do sexo feminino, Cidelma Enfermeira do PRTB, conseguiu 703 votos. A façanha se repetiu também em Campo Mourão que elegeu duas vereadoras, Elvira Schen do PPS foi a parlamentar com maior número de votos na cidade: 2.139.

Assessoria Acamdoze

Anexos: