09/11/2015 - Boa Esperança implantará programa de controle de animais

A prefeitura de Boa Esperança, em parceria com a Câmara de Vereadores implantará no município um programa de controle e castração de cães e gatos na cidade. O projeto de lei ainda está em fase de tramitação no Executivo, mas já foi aprovado pela Câmara. O projeto prevê a implantação de chips de identificação em todos os cães residenciais do município e a castração de animais errantes para o controle populacional dos bichos.

O vereador Gilson Martins (PP), autor do projeto de resolução que propôs o programa, explicou que com o chip, caso algum animal escape da residência, a prefeitura poderá localizar o dono com um leitor já que a tecnologia conterá todas as informações do proprietário como endereço residencial, número de telefone, entre outros. E se o bicho escapar uma segunda vez e for localizado pela prefeitura o projeto prevê até multa ao responsável.

Martins informou que já se reuniu com o prefeito do município, Claudio Gotardo (PSDB), que apóia o projeto. Segundo ele, o município dispõe de um fundo criado pela pasta do Meio Ambiente e os recursos serão disponibilizados para o programa. “O prefeito já nos disse que vai liberar este dinheiro para ser utilizado no projeto”, frisou. Martins acrescentou que o projeto além de preservar os animais, beneficiará também os moradores, que correm riso de ser atacados.

A TRIBUNA conversou ontem com o chefe da Vigilância Sanitária de Boa Esperança, Gilvan Mendes que informou que o último levantamento feito sobre a população de cães de rua no município apontou a existência de pelo menos 50 animais errantes. A pesquisa foi feita ainda em 2011. Ela acredita que após este período o número reduziu significativamente já que o município fez várias campanhas de orientação à população. Mendes alertou que outro problema grave na cidade é que alguns moradores simplesmente soltam seus animais nas vias públicas. “É uma tremenda irresponsabilidade”, criticou.

O chefe da Vigilância observou que o município não possui canil. Ele disse que algumas cidades mais próximas que dispõem destes locais não estão mais aceitando animais capturados na cidade por estarem com seus canis lotados. “Fazer um canil municipal é inviável, então este programa vem para pelo menos amenizar essa situação”, frisou. Mendes acrescentou que já foram registrados vários casos de pedestres atacados por animais de rua na cidade. Para ele, o projeto sendo sancionado pelo município a Vigilância Sanitária terá mais respaldo para fiscalizar e cobrar a população.

               

Centro de Monitoramento

O prefeito do município, Claudio Gotardo informou ontem que junto a implantação do programa, a prefeitura criará um centro de monitoramento de todos os cães e gatos da cidade. A finalidade é identificar todos os bichos com chips. Os animais colocados à disposição voluntariamente pela comunidade ou capturados, deverão ser castrados.

O prefeito falou também que o projeto amenizará o problema de cães de ruas na cidade. Segundo o gestor, outros municípios que já implantaram projetos nos mesmos moldes apresentaram eficiência no controle populacional dos animais.              

Walter Pereira/Tribuna do Interior

 

Anexos: