10/02/2015 - Acamdoze é solidária a protesto de professores

O presidente da Associação das Câmaras de Vereadores da Microrregião Doze (Acamdoze), vereador Gilson Martins (PP), disse ontem que a entidade e as 19 Câmara de Vereadores associadas é solidária a greve dos professores e funcionários da rede estadual, desencadeada nessa segunda-feira, início do ano letivo.

Martins, que é vereador de Boa Esperança, pede aos vereadores e presidentes das Câmaras para que conversem com seus deputados de base para que haja um consenso justo entre e a classe e Governo do Estado. “É hora de estreitarmos este relacionamento com nossa base no legislativo estadual para que tome a decisão mais justa possível, que não exclua direitos, mas sim privilégios”, frisou.

O presidente da entidade acrescentou que a greve é legítima e constitucional.  “Por isso a Acamdoze é solidária ao professores e ao funcionalismo público na reivindicação de seus direitos adquiridos. Tenho certeza que algumas medidas serão necessárias, mas ainda não sabemos quais e nem a proporção disso”, ressaltou.

Na Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão (Comcam), que abrange 25 cidades, 95% dos professores e funcionários da educação aderiram ao movimento de greve da categoria, segundo a APP Sindicato, Núcleo Sindical de Campo Mourão. A greve, por tempo indeterminado, pode ter um desfecho hoje, quando a Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) votará dois projetos de lei sobre o funcionalismo público no Estado, considerados o mote do movimento.

Segundo a APP Sindicato, o cerne da greve é a criação de dois projetos de lei do Governo do Estado, o nº.06 e nº.060, que segundo o sindicato, acabam com o Paraná Previdência, regimento que rege a aposentadoria dos funcionários do Estado e, outro, que extingue o plano de carreira dos funcionários de escolas e professores do magistério, retirando, o direito não só dos educadores, mas de todos os servidores públicos do Paraná a promoção e progressão.

Fonte: Assessoria Acamdoze

Anexos: